metodologia da pesquisa II

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA

Disciplina: ANT 7205 – Metodologia da Pesquisa II

Semestre: 2013/1 – Turma: 05337 – 5º fase.

Profs.: Drª Sônia Weidner Maluf e Dr. Marcos Aurélio da Silva (pós-doutorando)

Estagiária de docência: Ms. Bianca Ferreira Oliveira (doutoranda)

Horário: Terça-feira (14h20 às 18h) – Sala: a definir.

Atendimento extra-classe: terças (18h – 20h) e quintas (15h – 17h).

PLANO DE ENSINO

Ementa: Diferentes técnicas e métodos de pesquisa nas ciências humanas em geral e na antropologia em particular. Problematização de pesquisa de campo e análise de dados. Experimentos de pesquisa de campo. Problemas gerais de planejamento, execução e avaliação do processo da pesquisa em antropologia.

 Objetivos: A disciplina busca levar os alunos a problematizar o processo de coleta dos dados, identificando a relação das várias etapas da pesquisa com a utilização e repercussão epistemológica do uso dos instrumentos de pesquisa, visando capacitá-los a elaborar projetos de pesquisa.

Metodologia: Aulas expositivas, seminários, exercícios de leitura e interpretação de textos sobre metodologia de pesquisa, exercícios de coleta e abordagem de dados baseados em pesquisas bibliográficas e de campo, desenvolvimento do trabalho final.

Avaliação:    a) Qualidade na participação em sala de aula: freqüência, interesse, desenvoltura nas argumentações;

  1. b) Realização de seminários, exercícios, trabalhos orais e escritos e realização de um trabalho final da disciplina na forma de um projeto de pesquisa.

Recuperação: Os alunos com freqüência suficiente e nota final entre 3,0 e 5,5 poderão realizar uma prova de recuperação, contemplando toda a matéria do semestre, ao final da disciplina.

Cronograma das Atividades e Bibliografia:

19/03 – Apresentação do Programa

– Rodada de apresentação dos alunos e seus temas de pesquisa e relatos de participações em núcleos.

 Unidade I: A relação pesquisador/pesquisado na coleta dos dados

26/03Aula expositiva/seminários

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. “O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir, escrever”. In: O Trabalho do Antropólogo. São Paulo/Brasília: Unesp/Paralelo 15, 1998. pp. 17-35.

SEEGER, Anthony. “Pesquisa de Campo: uma criança no mundo”. In: Os Índios e Nós: estudos sobre sociedades tribais brasileiras. RJ: Ed. Campus, 1980.

 Vídeo: À margem da imagem (dir.: Evaldo Mocarzel. DOC, Brasil, 2003, 72’).

Atividades:

– Que tipo de abordagem antropológica é possível pensar a partir dos argumentos e situações do documentário? Exercício de produção textual.

02/04Aula expositiva/seminários

FONSECA, Cláudia. 1999. Quando cada caso NÃO é um caso. Pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, 10 (1). Rio de Janeiro: ANPED. pp. 58-78.

ZALUAR, Alba. 2009. Pesquisando no perigo: etnografias voluntárias e não acidentais. Mana, 15(2): 557-584.

Atividades:

– Identificação de metodologias da antropologia a partir de fragmentos de obras clássicas na disciplina.

 09/04 – Pesquisa em sociedade complexas. Aula expositiva:

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 17 (49). São Paulo: ANPOCS, 1993. pp. 137-144.

PERLONGHER, Néstor. Antropologia das sociedades complexas: identidade e territorialidade, ou como estava vestida Margaret Mead. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 8 (22). São Paulo: ANPOCS, 2002. pp. 11-29.

Vídeo: “Antropologia Urbana”. Palestra audiovisual de José Guilherme Cantor Magnani. Dir.: Jonas Martinelli. Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fespsp).

Atividades:

– Identificação de metodologias da antropologia a partir de fragmentos de obras da disciplina.

Unidade II: Etnografia e os instrumentos de pesquisa.

16/04 – A pesquisa de campo e a observação. Aula expositiva/debate sobre etnografia

MALINOWSKI, Bronislaw. “Introdução”. In: Argonautas do Pacífico Ocidental. (Coleção Os Pensadores). São Paulo: Ed. Abril. pp. 20-38.

Importante: Cada aluno trará uma questão metodológica sobre o texto.

GIUMBELLI, Emerson. 2002. Para além do “trabalho de campo”: reflexões supostamente malinowskianas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 17(48): 91-107.

Atividades:

– Exercício de observação participante.

 FAVRET-SAADA, Jeanne. 2005. Ser afetado. Cadernos de Campo, 13: 155-161.

WHYTE, W. F. 1975. “Treinando a observação participante”. In: ZALUAR, Alba (Org.). Desvendando máscaras sociais. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975. pp. 77-86.

Atividades:

– Exercício de observação participante.

 30/04 – O uso/produção de imagens na pesquisa antropológica.

GROISMAN, Alberto. “Fotografia e fotografar: paradigmas, artefatos e artifícios sociais e relacionais. In: LENZI, Lúcia H. et. al. (orgs.). Imagem: intervenção e pesquisa. Florianópolis: NUP/CFH/UFSC.

NOVAES, Sylvia Caiuby. 2008. Imagem, magia e imaginação: desafios ao texto antropológico. Mana, 14 (2).

Vídeos: Coletânea Vídeo nas Aldeias.

Atividades: Etnografando com imagens e a partir de imagens. Análise fílmica.

 

07/05 – Entrevista, narrativas de vida, método biográfico. Aula expositiva:

SALEM, Tânia. Entrevistando famílias: notas sobre o trabalho de campo. In: NUNES, Edson de Oliveira (org.).  A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978, 47-64.

GOLDENBERG, Míriam. “Estudos de Caso e O Método Biográfico em Ciências Sociais”. In: A Arte de Pesquisar. RJ-SP: Ed. Record, 1997. 33-43.

KOFES, Suely. Experiências Sociais, Interpretações Individuais: histórias de vida, suas possibilidades e limites.  Cadernos Pagu, 3. Campinas: Unicamp, 1994. pp. 117-141.

MALUF, Sônia Weidner. Antropologia, narrativas e busca de sentido. Horizontes Antropológicos, 5 (12), Porto Alegre: UFRGS, 1999. pp. 69-82.

 Vídeo: O fim e o princípio (dir.:Eduardo Coutinho. DOC, Brasil, 2005, 110’).

Atividades: Debate e resenha do filme e dos textos para a semana seguinte.

14/05 Pesquisando em arquivos. A pesquisa bibliográfica como campo. Aula expositiva:

CUNHA, Olívia Maria Gomes da. Tempo imperfeito: uma etnografia do arquivo. Mana, 10 (2). Rio de Janeiro: PPGAS/MN/UFRJ, 2004. pp. 287-322.

SILVA, M. A. “O festival e a cidade: notas sobre uma etnografia”. In: Territórios do desejo: Performance, Territorialidade e Cinema no Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Florianópolis: PPGAS/UFSC.

LUNA, Sérgio Vasconcelos de. “A Revisão de Literatura”. Planejamento de pesquisa: uma introdução. Elementos para uma Análise Metodológica. São Paulo: EDUCF, 1999. pp. 80-105.

Atividades:

Pesquisa bibliográfica. Elaboração de Sinopses.

Unidade III: A construção da questão, do problema e dos objetivos em uma pesquisa.

21/05 Aula expositiva:

DESLANDES, Suely Ferreira. “A Construção do Projeto de Pesquisa”. In: MINAYO, Mª Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. RJ: Vozes, 1994.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao Projeto de Pesquisa Científica. RJ: Vozes, 1995.

Atividades:

– Discussão em grupo sobre a construção do problema de pesquisa, com base nos textos de Rudio e Deslandes. Aproximação preliminar ao objeto de pesquisa, elencando problemas e possíveis metodologias.

28/05 Aula expositiva/seminários

SAHLINS, Marshall. 1997. O “pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um “objeto” em via de extinção (parte I). Mana 3(1): 41-73.

ROSALDO, Michelle. O uso e o abuso da antropologia: reflexões sobre o feminismo e o entendimento intercultural. Horizontes Antropológicos, 1 (1). Porto Alegre: PPGAS/UFRGS, 1995. pp. 11-36.

Atividades:

Rodada de apresentações: resumos e objetivos.

Elaboração de projeto de pesquisa.

Unidade IV – Análise e escrita etnográfica. Ética na pesquisa.

04/06 – A Estética do Texto Etnográfico

CLIFFORD, James. “Sobre a Autoridade Etnográfica”. In: GONÇALVES, José Reginaldo Santos (org). A Experiência Etnográfica: antropologia e literatura no século XX. RJ: Ed. UFRJ, 2002. pp. 17-62.

GOLDMAN, Márcio. Os Tambores do Antropólogo: Antropologia Pós-Social e Etnografia. Pontourbe – Revista do Núcleo de Antropologia Urbana da USP. Ano 2, julho de 2008.

MALUF, Sônia Weidner. 2011. Além do templo e do texto: desafios e dilemas do estudo de religiões no Brasil. Antropologia em primeira mão, 124: 5-14.

Atividades:

– Produção textual. Elaboração de projeto de pesquisa.

11/06 – Ética na pesquisa antropológica.

OLIVEIRA, Luís Roberto Cardoso de. Pesquisas em versus pesquisas com seres humanos. In: Antropologia e Ética. O debate atual no Brasil. Niterói/Porto Alegre: EdUFF e ABA, 2004. pp. 33-44.

LANGDON, Esther Jean; MALUF, Sônia Weidner; TORNQUIST, Carmen Susana. “Ética e política na pesquisa: os métodos qualitativos e seus resultados”. In: GUERRIERO, Iara; ZICKER, Fabio; SCHMIDT, Maria Luisa Sandoval. (Org.). Ética nas pesquisas em ciências humanas e sociais na saúde. São Paulo: HUCITEC, 2008.

Atividades:

– Orientação coletiva e individual para finalização dos projetos.

 18/06 – Laudos antropológicos. Elementos introdutórios à metodologia de elaboração de laudos.

LEITE, Ilka Boaventura (Org.). Laudos periciais antropológicos em debate. Florianópolis: NUER/ABA, 2005. Capítulos a escolher.

Atividades:

Análise de um laudo.

– Orientação coletiva e individual para finalização dos projetos.

02/07Apresentação dos projetos, simulação de banca e discussão em aula.

 09/07Apresentação dos projetos, simulação de banca e discussão em aula.

Entrega dos trabalhos finais (projetos) por escrito.

16/07Entrega da avaliação dos trabalhos finais e recuperação.

– Encerramento do semestre.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AMADO, Janaína. 1995. O grande mentiroso: tradição, veracidade e imaginação em história oral. História, 14: 125-136.

BAUER, Martin. W. & GASKELL, Gaskell. (Org.).  2002. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 3ª ed. Petrópolis: Vozes.

BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. SP: Hucitec, 1999.

BOURDIEU, Pierre. “A ilusão biográfica”. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes. Usos e abusos da história oral. 8ª edição. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. pp. 183-191.

CARDOSO, R. C. L. (Org.). 1986. A aventura antropológica: teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, pp. 17-37.

COLLIER JR., John. 1973. Antropologia Visual: A Fotografia como Método de Pesquisa. São Paulo: EPU-EdUSP.

ECKERT, Cornelia; ROCHA , Ana Luiza Carvalho da. 1998. Premissas para o estudo da memória coletiva no mundo urbano contemporâneo sob ótica dos itinerários de grupos urbanos e suas formas de sociabilidade. Revista Margem – Tecnologia, Cultura, 8. São Paulo: Faculdade de Ciências Sociais/PUC/EDUC- FAPESP.  pp. 243-259.

ECO, Humberto. 1993. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva.

FELDMAN-BIANCO, Bela. (org.). Antropologia das Sociedades contemporâneas. São Paulo: Global, 1987.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

GOLDMAN, Marcio. “Antropologia contemporânea, sociedades complexas e outras questões”. In: Alguma Antropologia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999. pp. 93-122.

KANDEL, L. Reflexões sobre o uso da entrevista, especialmente não-diretiva e sobre a pesquisa de opinião. In: THIOLLENT, Michel (org.). Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. São Paulo: Polis, 1980.

LAGROU, Elsje Maria. “Uma experiência visceral: pesquisa de campo entre os Kaxinawá”. In: GROSSI, M. Trabalho de campo & subjetividade. Florianópolis: PPGAS/UFSC, 1992. pp. 19-40.

LANG, Alice Beatriz da Silva Gordo. Documentos e depoimentos na pesquisa histórico-sociológica. Cadernos CERU. Textos 3, 2ª série, 1992. pp. 78-94.

PEIRANO, Marisa. “O antropólogo como cidadão”. In: Uma antropologia no plural: três experiências contemporâneas. Brasília: Ed. UnB, 1993. pp. 85-104.

PEREIRA DE QUEIROZ, Maria Isaura. O pesquisador, o problema da pesquisa, a escolha das técnicas: algumas questões. Cadernos CERU. Textos 3, 2ª série, 1992. pp. 3-29.

POLLAK, Michael. 1989. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, 2 (3). Rio de Janeiro: Cpdoc/FGV.

SCOTT, Head. 2009. Implicações entre olhares: etnografia, fotografia e performance. Ilha Revista de Antropologia, 11 (1). Florianópolis: PPGAS/UFSC. pp. 85-109.

SILVA, Vagner Gonçalves da. O antropólogo e sua magia: trabalho de campo e texto etnográfico nas pesquisas antropológicas sobre religiões afro-brasileiras. São Paulo: Edusp, 2000.

VELHO, Gilberto. “Observando o familiar”. In: Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

WEBER, Regina. 1996. Relatos de quem colhe relatos: pesquisas em história oral e Ciências Sociais. Dados – Revista de Ciências Sociais, 39 (1). Rio de Janeiro: IUPERJ. pp. 163-183.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Antropologia e Cinema