O PROJETO

Deslapa_logo5crição:  O curso de extensão Laboratório de Antropologia e Produção Audiovisual, ligado ao NAPlus/PPGAS/UFMT, tem por objetivo suprir uma lacuna do Departamento de Antropologia, no subcampo da Antropologia Visual, apesar de bastante consagrado dentro da disciplina. A ideia é oferecer suporte imagético ao trabalho científico dos participantes e às pesquisas em andamento no Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus) que se utilizam de técnicas fotográficas e audiovisuais, atentando para as possibilidades de produção de conhecimento que essas técnicas permitem. Para tanto, será preciso oferecer aos alunos um arsenal teórico e prático, uma vez que nunca foram oferecidas disciplinas com esses conteúdos nas Ciências Sociais da UFMT, seja em nível de graduação ou pós-graduação. Com uma carga horária de 80 horas, o curso abrangerá teorias e práticas da produção fotográfica e cinematográfica, relacionadas com a produção científica em antropologia, com foco na criação de produtos como exposições fotográficas e filmes etnográficos.

Palavras-chave: Antropologia Visual, Fotografia, Cinema

Período de execução: 04/2015 a 12/2015

JUSTIFICATIVA

 O uso de imagens na pesquisa científica em ciências sociais é tão antigo quanto os próprios campos disciplinares que as compõem. Na Antropologia, essa relação é bastante complexa, uma vez que os instrumentos de registro de imagens fotográficas e audiovisuais tem sua origem no século XIX, contemporaneamente à formação da disciplina. Desde então, essa produção de imagens, sendo ou não alvo de reflexão pelos pesquisadores, se tornou parte do estar em campo. Desde Bronislaw Malinowski (1884-1942), pai-fundador da disciplina, raro é o antropólogo que não se utiliza ao menos de uma câmera fotográfica para registrar detalhes da vida das comunidades pesquisadas. Mais recentemente, essa relação foi se tornando ainda mais corriqueira, com o barateamento e a portabilidade cada vez maior desses equipamentos.

Além desse tipo de produção que acompanha a pesquisa científica e nem sempre se converte em material que será incorporado às monografias, teses ou dissertações – tornando-se nada mais do que um registro visual da passagem pelo campo –, fotografias e filmes também foram produzidos como objeto de reflexão. Sejam as fotografias de Margaret Mead (1901-1978) e Gregory Bateson (1904-1980), quando estudaram os balineses na década de 1930, ou os filmes de Jean Rouch (1917-2004), em países africanos, entre as décadas de 1950 e 1970, a antropologia visual se transformou em um campo disciplinar legítimo. A produção da imagem torna-se assim um lugar privilegiado para se pensar a interação entre pesquisadores e pesquisados. As imagens passam de mero registro a momento chave da relação de produção de conhecimento (GROISMAN, 2006: 122).

Com base nessa trajetória das imagens das ciências sociais e as possibilidades que apresenta para a pesquisa científica, que está sendo constituído o projeto de extensão Laboratório de Antropologia e Produção Audiovisual (LAPA), que terá como principal tarefa oferecer cursos aos alunos de graduação e pós-graduação, como forma de instrumentalizar esses acadêmicos na produção de imagens, assim como propiciar reflexões sobre fotos e filmes na construção do conhecimento antropológico. Cabe ressaltar que essa disciplina nunca foi oferecida em cursos de graduação ou pós-graduação da UFMT, apesar de sua importância no campo das Ciências Humanas e da recente popularização da produção de imagens. Assim, torna-se premente o oferecimento desse curso de extensão que poderá fomentar a criação de um laboratório permanente para o Departamento de Antropologia da UFMT.

RELAÇÃO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

O Laboratório de Antropologia e Produção Audiovisual (LAPA) é um projeto de extensão que se relacionará diretamente com as atividades de ensino e pesquisa do Departamento de Antropologia e do Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) da UFMT.

No que se refere ao ensino, apesar de se tratar de um curso de extensão, o LAPA vem suprir uma lacuna de disciplinas desse tipo que nunca foram oferecidas em nível de graduação ou pós-graduação, o que faz com que seu público alvo preferencial sejam alunos do Curso de Graduação em Ciências Sociais e do Mestrado em Antropologia, ainda que esteja aberto a qualquer membro da comunidade universitária.

Já em relação à pesquisa, cabe ressaltar que o oferecimento do curso se dá através do NAPlus, núcleo que congrega pesquisadores da Antropologia que se debruçam sobre questões ligadas às diversidades culturais e os diferentes saberes que formam as socialidades humanas. Nesse sentido, o curso também capacitará acadêmicos que integram as pesquisas do NAPlus, com o objetivo de oferecer suporte às pesquisas que demandam o uso de imagens.

Ainda no que se refere à pesquisa, o LAPA é um desdobramento da pesquisa de pós-doutorado “Gênero, performance e audiovisualidades: uma antropologia urbana de movimentações sociais e territorialidades políticas no contemporâneo”, desenvolvida pelo coordenador deste projeto, através de uma bolsa oferecida ao PPGAS/UFMT pelo Programa Nacional de Pós-Graduação da Capes/MEC. Assim o tripé universitário estará contemplado pelas atividades do LAPA que ainda terá como etapa final deste curso a disponibilização de produtos visuais e audiovisuais à sociedade exterior ao ambiente acadêmico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>