Surrealismo

  • Sem preocupação com enredos e histórias.
  • Imagens-choque para expressar pulsões e desejos não racionalizados.
  • Aversão à burguesia.
  • As imagens “absurdas” só têm existência cinematográfica e não são explicadas por sonhos ou alucinações dos personagens.
  • A montagem quer fazer emergir o “real” oculto em nós (BERNARDET, 1980: 56).
 "O cão andaluz" (Luis Buñuel, 1928)Salvador Dali e a Disney - Publicação by RG Filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>