Instruções para o trabalho final

AVALIAÇÃO FINAL : Elaborar um artigo que possua de 10 a 15 páginas, de cunho bibliográfico e etnográfico, sobre tema de interesse da Antropologia Urbana, com o referencial teórico da disciplina. Seguem algumas instruções/dicas:

  • Aproveite e insira seu próprio tema de pesquisa de dissertação ou algum fenômeno etnografado, na área da antropologia urbana, com descrição do fenômeno/campo:

O que significa pensar um fenômeno através da antropologia urbana?

Como a dualidade NA CIDADE/DA CIDADE pode ser pensada em relação ao tema da pesquisa e quais os limites desse dualismo?

  • Faça uma revisão bibliográfica selecionando entre os autores centrais vistos na disciplina (Magnani, Velho, Pétonnet, Benjamin, Marcus, Simmel, Foote-Whyte, Hannerz, Park, Wirth, Becker, Perlongher, Oliven e Caiafa), além dos teóricos que nos ajudam a compreender tais fenômenos de forma mais abrangente (Agier, De Certeau, Sennet, Foucault, Deleuze e Guattari, Castells, Ingold, Canevacci e Wacquant).
  • Dialogue com autores que têm relação mais estreita com os temas da sua pesquisa (gênero e sexualidade, corporalidade, violência, cultura do medo, comunidades periféricas, enclaves étnico-raciais, enclaves fortificados, tribos urbanas, perambulações pela cidade, comunicação, saúde, quilombismo e indigenismo urbanos, patrimônio, gentrificação, performance). Cada uma dessas áreas possui textos nas bibliografias obrigatória e complementar.
  • Eleja algum conceito – ou conjunto de conceitos – visto na disciplina para auxiliar na análise do tema do artigo. Discuta o conceito citando os autores e as possibilidades para a pesquisa em foco. Alguns dos conceitos que vimos:

tentação da aldeia, identidade contrastiva, identidades emergentes, territorialidade, desterritorialização e reterritorialização, pedaço (e categorias adjacentes: circuito, pórtico, trajeto, mancha), metrópole comunicacional, cidade polifônica, trajetórias nômades, ambiente metropolitano, ambiente maquínico, consumo performático, olhar blasé, olhar flâneur, observação flutuante, observação participante, práticas de espaço, retóricas ambulatórias, projeto, heterogeneidade, campo de possibilidades, cultura do medo, cultura da violência, gentrificação, marginalidade.

  • Serão considerados os aspectos científicos da escrita, principalmente no que se refere às citações e referências bibliográficas. Durante o semestre, lemos vários artigos que podem ser pensados como exemplares, em termos formais, como “Unidade e fragmentação em sociedades complexas”, do Gilberto Velho; “Movimento Punk na cidade”, de Janice Caiafa; “All City”, de Ricardo Campos; “Da periferia ao centro, cá e lá”, de José Magnani – só para citar alguns, lembrando que praticamente todos os textos das Unidades 4 e 5 podem ser considerados exemplares nesse sentido.

 

PRAZO FINAL DE ENTREGA:

30 de julho de 2017 (sem prorrogação) por email: marcoaureliosc@hotmail.com

Atenção alunas (os)! Haverá aula no dia 6 de abril

Meus caros
Houve uma mudança em nossa programação. A mesa redonda que aconteceria na quinta-feira, 6 de abril, acontecerá, no dia 7 de abril, uma sexta-feira, às 14h30, no Museu Rondon.
Sendo assim, teremos aula normalmente no dia 6 de abril, com o tópico Escola de Chicago, conforme previsto anteriormente.
Ainda assim, os trabalhos poderão ser entregues até o dia 13 de abril.
Abaixo mais informações  sobre a mesa redonda e o link do evento no facebook.
Abraços
Marco Aurélio
 
Jornadas NAPlus: O Carnaval e a Cidade
 
cartaz-jornadas-carnavalO Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus) convida para a mesa redona “O carnaval e a cidade: experiências locais, perspectivas nacionais” que acontece no dia 7 de abril, às 14h30 no auditório do Museu Rondon. A mesa reunirá pesquisadores e carnavalescos que vão debater a importância das festas para a cidade e para a cidadania.

Participam o carnavalesco da Unidos do Viradouro (São Gonçalo/RJ), Edson Pereira, que nos últimos anos foi destaque com seu trabalho nas escolas Unidos de Padre Miguel e Mocidade Independente, e o carnavalesco Celso Nazário da escola de samba Tradição do Araés, atual campeã do carnaval de Cuiabá. O mestrando Victor Marques, do PPGAS/UFMT, também apresenta resultados preliminares da sua pesquisa de dissertação sobre o tema.

A mesa faz parte das Jornadas do NAPlus, evento que, desde o ano passado, reúne pesquisadores, militantes, produtores culturais, cidadãos com diferentes trajetórias e experiências sobre temas delicados e importantes da contemporaneidade. 

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/395838490808995/

Mais informações sobre as Jornadas do Naplus: http://naplus.com.br/jornadas-do-naplus/